Portal Expresso

MENU
Logo
Segunda, 23 de novembro de 2020
Publicidade
Publicidade

Segurança

Moradora de Agronômica está desaparecida há três meses

Vanisse Helena Venturi sumiu há mais de 90 dias. Vítima passava por momento emocional difícil

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando


Já se passaram mais de 90 dias do desaparecimento da moradora de Agronômica, Vanisse Helena Venturi, de 39 anos. A Polícia Civil, através da Divisão de Investigação Criminal de Rio do Sul e da Delegacia de Polícia do Município de Agronômica, com o apoio da Delegacia de Polícia do Município de Laurentino, está realizando incessante investigação destinada a apurar os fatos.

A investigação foi iniciada assim que o boletim de ocorrência foi registrado e os fatos chegaram ao conhecimento da Polícia Civil, na sexta-feira, dia 24 de julho. A moradora de Agronômica desapareceu da casa onde mora, próximo à BR-470, na manhã do dia 23 de julho. Desde então, uma onda de compartilhamentos nas redes sociais tenta buscar alguma pista sobre o ocorrido. A Polícia Civil trabalha com diversas hipóteses, mas a situação é um mistério.

Vanisse sumiu do imóvel apenas com a roupa do corpo enquanto os filhos de 12 e 18 anos ainda dormiam. O marido já havia ido trabalhar na plantação de arroz. Quando os garotos acordaram, a mãe, que é dona de casa, não estava. Ela perdeu o irmão em 2018 e o pai no ano passado. Por conta disso, passava por um período difícil emocionalmente.

O seu esposo conta que percebeu a ausência de dinheiro e de um cartão na carteira dela. Foi ele quem registrou o boletim de ocorrência no dia seguinte ao desaparecimento. Eles estavam, desde o final do ano passado, definindo sobre o fim do casamento de 20 anos, mas a situação seria amigável, segundo relatos da família.

Para sua irmã, a possibilidade dela ter abandonado o lar é quase descartada, já que é muito apegada aos meninos. Um sequestro foi cogitado pelos parentes, mas nenhum contato foi feito até o momento com as autoridades ou com a própria família.

A Polícia Civil não descarta nenhuma hipótese, mas não pode revelar muitos detalhes para não atrapalhar as apurações, garante que há uma linha de investigação que começa a ganhar força na equipe. Desde o registro do desaparecimento, nove policiais trabalham diariamente em buscas pela região. Também foi utilizada a participação de três cães farejadores dos bombeiros e Polícia Militar. Nada foi encontrado.

Enquanto o desfecho não ocorre, familiares, comunidade e imprensa local compartilham fotos da mulher nas redes sociais em busca de alguma pista. A ação mobilizou toda a cidade.

 

Fonte/Créditos: BIANCA BERTOLI – NSC

Comentários:

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )