Portal Expresso

Segunda, 02 de agosto de 2021
MENU

Geral

Moradora de Agronômica segue desaparecida após quase 200 dias

Processo de investigação da Policia Civil foi encerrado no dia 1° de fevereir

5524
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando
Já se passaram mais de 8 meses do desaparecimento de Vanisse Helena Venturi, 39 anos, moradora de Agronômica. E o caso misterioso ainda intriga a população.
 
O processo de investigação da Policia Civil foi encerrado no dia 1° de fevereiro. O Inquérito Policial de 345 páginas, apontou um suspeito, indiciado ao crime de homicídio qualificado e ocultação de cadáver, mas infelizmente nem mesmo Ministério Público ou o Poder Judiciário deram andamento ao caso, processo ainda continua em análise de ambos.
 
Enquanto isso não acontece a família e amigos de Vanisse, continuam numa espera angustiante acompanhando o andamento da justiça no caso, em busca por respostas.
 
Colabore com a Polícia Civil denuncie através do 181 ou (48) 98844-0011, sigilo absoluto.

Relembre o caso:

Já se passaram mais de 200 dias do desaparecimento da moradora de Agronômica. A Polícia Civil, através da Divisão de Investigação Criminal de Rio do Sul e da Delegacia de Polícia do Município de Agronômica, com o apoio da Delegacia de Polícia do Município de Laurentino, está realizando incessante investigação destinada a apurar os fatos.

A investigação foi iniciada assim que o boletim de ocorrência foi registrado e os fatos chegaram ao conhecimento da Polícia Civil, no dia 24 de julho. A moradora de Agronômica desapareceu da casa onde mora, próximo à BR-470, na manhã do dia 23 de julho do ano passado. Desde então, uma onda de compartilhamentos nas redes sociais tenta buscar alguma pista sobre o ocorrido. A Polícia Civil trabalha com diversas hipóteses, mas a situação ainda  é um mistério.

Vanisse sumiu do imóvel apenas com a roupa do corpo enquanto os filhos de 12 e 18 anos ainda dormiam. O marido já havia ido trabalhar na plantação de arroz. Quando os garotos acordaram, a mãe, que é dona de casa, não estava. Ela perdeu o irmão em 2018 e o pai em 2019. Por conta disso, passava por um período difícil emocionalmente.

O seu esposo conta que percebeu a ausência de dinheiro e de um cartão na carteira dela. Foi ele quem registrou o boletim de ocorrência no dia seguinte ao desaparecimento. Eles estavam, desde o final do ano passado, definindo sobre o fim do casamento de 20 anos, mas a situação seria amigável, segundo relatos da família.

Para sua irmã, a possibilidade dela ter abandonado o lar é quase descartada, já que é muito apegada aos meninos. Um sequestro foi cogitado pelos parentes, mas nenhum contato foi feito até o momento com as autoridades ou com a própria família.

A Polícia Civil não descarta nenhuma hipótese, mas não pode revelar muitos detalhes para não atrapalhar as apurações. Desde o registro do desaparecimento, nove policiais trabalham diariamente em buscas pela região. Também foi utilizada a participação de três cães farejadores dos bombeiros e Polícia Militar. 

 
 

Fonte/Créditos: RDS COMUNICAÇÃO ALTO VALE / RDC NOTÍCIAS

Créditos (Imagem de capa): Divulgação

Comentários:

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )