Portal Expresso

MENU
Logo
Domingo, 27 de setembro de 2020
Publicidade
Publicidade

Alto Vale

Novas medidas restritivas são recomendadas no Alto Vale

A resolução entra em vigor hoje, segunda-feira, 10 de agosto, e terá vigência de 14 dias  

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Em reunião realizada na sexta-feira (7), prefeitos e secretários municipais de saúde do Alto Vale do Itajaí aprovaram a Resolução Nº 010/2020 que dispõe sobre as medidas sanitárias preventivas recomendadas em nível regional, em virtude da pandemia do coronavírus. A resolução entra em vigor hoje, segunda-feira, 10 de agosto, e terá vigência de 14 dias. A partir das recomendações expressas na resolução, os municípios devem publicar seus decretos.

Entre as principais medidas aprovadas está a proibição do consumo de bebidas alcoólicas nos balcões de atendimento de bares, pubs, lojas de conveniências de postos de combustível e similares, podendo o consumo ocorrer em mesas desde que respeitadas as normas sanitárias. A comercialização de bebidas alcoólicas nos estabelecimentos citados só poderá ocorrer até às 20 horas.

Conforme Lei Estadual nº 17.940 de 08 de maio de 2020, está liberada a realização de missas, cultos e demais atividades de manifestação religiosa, com lotação máxima de 30% e respeitando as medidas sanitárias. Academias e estabelecimentos hoteleiros também devem respeitar a permanência máxima de 30% da capacidade total.

De acordo com o presidente da AMAVI, prefeito Joel Longen, além das medidas aprovadas, o fundamental neste momento é a conscientização da população. “Em nome de todos os prefeitos quero fazer um apelo, quem puder por favor fique em casa, evite festas, visitas e encontros de famílias, infelizmente agora não é possível”.

Segundo o mapa de risco do Governo do Estado de SC, a região do Alto Vale encontra-se em situação gravíssima. Um dos fatores considerados para esse mapa é o índice de isolamento social. “Vamos fazer um esforço para que possamos sair da situação gravíssima, caso contrário corremos o risco de que seja determinada a suspensão total das atividades não essenciais”, conclui o presidente da AMAVI.

Comentários:

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )