Portal Expresso

MENU
Logo
Segunda, 10 de agosto de 2020
Publicidade
Publicidade

Santa Catarina

Polícia Civil e Procon interditam fábricas de álcool gel no Estado

Foram constatados que diversos produtos de várias empresas não obedeciam aos critérios de qualidade e eficiência preconizados pela legislação

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Delitos de Trânsito e Divisão de Crimes Ambientais (DTCA) de Tubarão e da Delegacia de Polícia de Araquari, e o Procon estadual interditaram quatro fábricas de álcool em gel no estado. A ação, que também resultou na prisão em flagrante de três pessoas, ocorreu nesta quarta-feira, 8.

No Norte do estado, em Araquari, foram três empresas interditadas e três pessoas presas em flagrante por crime contra a saúde pública, relações de consumo e o meio ambiente. A operação Álcool Falso teve o apoio da DP de Balneário Barra do Sul e Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Joinville.

Foram constatados que diversos produtos de várias empresas não obedeciam aos critérios de qualidade e eficiência preconizados pela legislação e pela Anvisa. Eles apresentavam concentração do álcool etílico abaixo dos 70% conforme anunciado.

Durante os trabalhos de fiscalização, a Polícia Civil verificou que, além das infrações administrativas, os responsáveis pelos estabelecimentos comerciais também praticaram infrações penais, sendo que três pessoas foram conduzidas e presas em flagrante.

Uma fábrica também foi interditada no bairro Revoredo, em Tubarão. As análises laboratoriais realizadas constataram que a concentração de álcool nos produtos, conhecidos como "álcool 70", era inferior ao indicado na embalagem e ao recomendável. Assim, o produto não apresenta a eficácia prometida, principalmente quanto à desinfecção e higienização das mãos e objetos para a prevenção do coronavírus.

A empresa deve informar amplamente os consumidores que adquiriram os produtos sobre essa constatação e providenciar a imediata retirada dos produtos que estejam sendo comercializados por revendedores.
A Polícia Civil vai instaurar inquérito policial para apurar a responsabilidade penal dos envolvidos. “A Polícia Civil da 5° região está atenta a qualquer irregularidade que envolve as demandas pelo Covid-19. Diuturnamente efetuamos fiscalizações aos estabelecimentos denunciados ou, também, como prevenção”, afirma a delegada Regional de Polícia de Tubarão Vivian Garcia.

Comentários:

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )