Portal Expresso

MENU
Logo
Terça, 07 de julho de 2020

Política

Respiradores: CGE aponta irregularidade na ação de oito agentes públicos

Apuração interna do Executivo mostra indícios de improbidade e infrações administrativas

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando


A Controladoria-Geral do Estado (CGE) entregou nesta quinta-feira (25) um relatório preliminar de apuração interna no caso da compra dos 200 respiradores da Veigamed. O documento foi entregue aos membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa de SC (Alesc) e também ao Ministério Público de SC (MPSC).

Apesar de estar sob sigilo, a CGE confirma os indícios de improbidade de dois ex-secretários de Estado - Douglas Borba e Helton de Souza Zeferino - e de infrações administrativas de seis servidores públicos.

Os nomes dos envolvidos não foram revelados. As informações só serão divulgadas quando o relatório for finalizado. A CGE ainda busca novas informações.

A Controladoria é o órgão criado para fiscalizar e corrigir as contas públicas, mas só foi chamada no caso dos respiradores após o pagamento dos R$ 33 milhões. O fato levou os membros da CPI a pedirem o afastamento do controlador-geral, Luiz Felipe Ferreira, por ser "omissão" e "inoperante".

O caso causou polêmica na última terça-feira (23), quando Ferreira depôs na CPI. O relator, deputado Ivan Naatz (PL), perguntou sobre o relatório é já sabia algumas informações prévias. Ferreira disse que não poderia falar sobre um documento que ainda não estava pronto e indicou que haveria um vazamento.

Em nota, a CGE diz que uma "comissão de servidores da CGE busca identificar a prática de atos lesivos à Administração Pública estadual, em conformidade com o art. 5º da Lei nº 12.846/2013 - Lei Anticorrupção, por 04 (quatro) empresas que, mediante fraude, causaram prejuízo financeiro de R$ 33 milhões ao erário estadual".

Além disso, afirmou que os indícios são uma primeira análise e só caberia alguma punição com o devido processo administrativo e amplo direito à defesa.

 

Créditos (Imagem de capa): Agência Al

Comentários:

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )