Portal Expresso

Terça, 07 de dezembro de 2021
MENU

Segurança

SC tem ‘onda’ de feminicídios com 5 mulheres mortas em menos de uma semana

Desde o início de 2021, 43 casos do crime foram registrados no Estado, apenas dois a menos do que os notificados em todo o ano de 2020

364
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Cinco mulheres foram mortas pelos companheiros ou ex-companheiros em Santa Catarina entre o sábado (6) e a quinta-feira (11). O dado chama a atenção em um ano em que o Estado registrou queda no número de feminicídios. 

“A morte de cinco mulheres é um número muito alto. Nós viemos com uma estatística um pouco menor do que o ano passado, mas esse número excessivo de vítimas nos últimos dias nos preocupa muito.

Por isso, é importante a gente falar desse assunto e orientar as mulheres que estiverem numa situação de violência doméstica e familiar que não esperem o agravamento dessa situação, que procurem ajuda”, avaliou a delegada Patrícia Zimmermann.

Desde o início deste ano, 43 feminicídios foram registrados no Estado. A coordenadora das DPCAMIs explicou que a Polícia Civil segue um protocolo nacional de investigação para esses casos: “A orientação que nós damos para os nossos policiais é que toda a morte de mulher seja investigada com a ótica do feminicídio, com o olhar de gênero, que é um olhar técnico aprimorado para esse crime.”

A delegada revelou ainda que, na maioria dos casos, a motivação para o feminicídio é a “sensação de posse, de propriedade da mulher”. “Quando a gente fala que o agressor objetifica a sua companheira, ele vê ela como um objeto, a fala recorrente que nos relatam é de que se ela não for dele, ela não será de mais ninguém”, completou ela.

“O ciclo da violência é sempre o mesmo. Começa com uma intimidação, uma humilhação. Aí, começa com uma intensidade maior numa agressão verbal, numa ameaça. Muitas das vezes tem a explosão para a agressão física e termina com o feminicídio. Nós não temos um caso de feminicídio que não haja ou uma intimidação ou uma ameaça anterior. Então, atenção pro ciclo, para que ele seja quebrado antes que isso se agrave no feminicídio. É papel de todos nós. Nós precisamos apoiar essas mulheres quando pedem ajuda, jamais criticar ou julgar”, alertou a delegada Patrícia.

Desde o início deste ano, 43 feminicídios foram registrados em SC- Foto: Internet
Desde o início deste ano, 43 feminicídios foram registrados em SC- Foto: Internet

Em 2020, Santa Catarina registrou 45 casos de feminicídio. Em 2019, foram 50. Para a delegada, os números elevados estão relacionados ao “machismo exagerado, a sensação de propriedade e uma das coisas que a gente reflete é a atual condição em que a população está vivendo. Muitos com diminuição de emprego e renda. Muitos com dificuldade financeira. Muitas pessoas que perderam o estilo de vida até em decorrência da pandemia. São situações anormais que podem agravar esse fenômeno. Por isso, esse pedido para que as mulheres já nos primeiros atos de violência busquem ajuda”.

Relembre os casos

Uma mulher de 34 anos foi morta com um tiro no rosto na noite desta quarta-feira (10) em Guatambu, no Oeste de Santa Catarina. Ela teria sido ameaçada nos dias que antecederam o crime. As intimidações vinham do ex-marido da vítima, um homem de 31 anos, o principal suspeito do crime, segundo a PC (Polícia Civil).

Na segunda-feira (8), uma mulher de 28 anos morreu após ser violentamente agredida no bairro Agronômica, em Florianópolis. Ela chegou a ter as costelas quebradas. Segundo a PM (Polícia Militar), o autor teria sido o ex-companheiro da vítima e ela teria sido mantida em cárcere privado até conseguir escapar e ser encaminhada ao hospital. A Polícia Civil está encarregada da investigação.

Por volta das 22h do mesmo dia, outro feminicídio foi registrado no bairro Sul do Rio, na cidade de Santo Amaro da Imperatriz. A vítima, uma mulher de 48 anos, morreu no hospital após ser espancada pelo ex-companheiro, um homem de 50 anos. O autor do crime fugiu e ainda não foi encontrado, conforme a polícia.

Outro caso de feminicídio aconteceu em Presidente Getúlio, no Vale do Itajaí. Uma mulher de 34 anos foi encontrada morta na cama ao lado do filho pequeno, no domingo (7), com diversas marcas de facadas pelo corpo. Segundo informações da PM, a vítima tinha uma medida protetiva e vinha sofrendo ameaças de morte do ex-companheiro, um homem de 43 anos que até o momento não foi localizado.

No sábado (6), uma mulher de 39 anos foi vítima de feminicídio em Campos Novos. De acordo com informações da PM, ela morreu no quintal de casa, após ser esfaqueada várias vezes. O suspeito é um homem de 51 anos, ex-companheiro da vítima, que foi visto próximo do local onde a mulher foi encontrada e fugiu antes da chegada da polícia. Ele também não foi encontrado.

 

Fonte/Créditos: ND

Créditos (Imagem de capa): Foto: Divulgação

Comentários:

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )