Portal Expresso

MENU
Logo
Domingo, 27 de setembro de 2020
Publicidade
Publicidade

Alto Vale

Trabalhadores flagrados em situação de escravidão em Ituporanga

Esta é a terceira operação que resgata trabalhadores em situações degradantes nas fazendas de cebola da região

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando
Nove trabalhadores foram resgatados de uma fazenda de plantação de cebola, em Ituporanga. em situação de trabalho escravo, no início desta semana. Ação foi desenvolvida pelo Ministério Público do Trabalho em Santa Catarina (MPT-SC). A investigação iniciou no final de julho, quando um dos trabalhadores passou mal e precisou de atendimento pelo Sistema de Saúde, 

A operação é uma força-tarefa entre o MPT-SC e a Polícia Federal, coordenada pelo Procurador do Trabalho Piero Menegazzi. Essa última ação teve início no sábado (8) com uma fiscalização onde os trabalhadores foram encontrados na fazenda. Os nove homens são remanescentes de um grupo que foi aliciado no município de Timbiras, no Maranhão e trazidos para trabalhar nas fazendas de plantio de cebola com promessas de bons salários.

Segundo o MPT-SC, os trabalhadores foram expostos a condições precárias de saúde e segurança no trabalho. Estavam alojados em espaços insalubres e eram transportados às plantações em caçambas de caminhões, onde não tinham instalações sanitárias e trabalhavam sem equipamentos de proteção. Eles também não tinham recebido nenhuma remuneração até o momento da operação, tendo que assumir dívidas com o empregador para terem acesso a alimentação, além de outras ilegalidades. Eles também ainda não tinham a assinatura da carteira de trabalho, ou seja, estavam totalmente informais.

O empregador assinou um Termo de Ajuste de Conduta com o MPT, responsabilizando-se pela formalização dos vínculos de emprego,  pagamento de todos os empregados e o retorno deles à cidade de origem, além de outras obrigações referentes ao cumprimento da legislação trabalhista. Também assumiu o pagamento de indenização por danos morais coletivos.

Esta é a terceira operação que retira trabalhadores de situações análogas à escravidão nas plantações de cebola de Ituporanga. 
 
 
 
 
 

Fonte/Créditos: NDmais

Créditos (Imagem de capa): Prefeitura de Ituporanga/Divulgação/ND

Comentários:

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )