Portal Expresso

Sabado, 13 de Julho de 2024
King Pizzaria & Choperia
King Pizzaria & Choperia

Vale do Itajaí

Vale do Itajaí: Homem que matou namorada é condenado a 15 anos de reclusão

A morte foi planejada para ocultar um crime que ele cometeu. Gabriela estaria reunindo provas sobre a suspeita do furto. 

Redação Portal Expresso
Por Redação Portal Expresso
Vale do Itajaí: Homem que matou namorada é condenado a 15 anos de reclusão
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

O Conselho de Sentença acolheu a tese do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) e condenou Ricardo Withoeft a 15 anos de reclusão por matar a namorada, Gabriela Ágatha Lima, por asfixia. Ele planejou a morte da vítima para ocultar um furto. O júri ocorreu na terça-feira (17/10). 

Segundo consta na ação penal do MPSC, em julho de 2021, Ricardo e Gabriela mantinham uma relação amorosa. Porém, o réu estava inconformado com a desconfiança de Gabriela de que ele teria se apropriado de um valor em dinheiro de um conhecido do casal. Gabriela estaria reunindo provas sobre a suspeita do furto. 

Foi então que Ricardo arquitetou o plano de matar a vítima. Ele se dirigiu à residência da namorada, na localidade de Rio Morto, em Indaial, e, usando uma fita adesiva, obstruiu a boca e o nariz de Gabriela, causando o sufocamento que a levou à morte. Na sequência, o réu furtou o carro da vítima e fugiu do local.  

Publicidade

Leia Também:

O Conselho de Sentença impôs a condenação do réu ao admitir a morte da vítima por asfixia e a autoria do furto do veículo por ele. O Promotor de Justiça Djônata Winter representou o MPSC no Tribunal do Júri em Indaial.  

O réu vai cumprir a pena em regime inicial fechado e não pode recorrer da sentença em liberdade. A Juíza da Vara Criminal de Indaial manteve a prisão preventiva do condenado. "O réu respondeu ao processo preso preventivamente, devendo-se manter sua custódia cautelar, em razão de se manterem presentes os pressupostos que levaram a sua prisão. Reitera-se que a gravidade concreta da conduta revela a periculosidade do réu, o que põe em risco a ordem pública", esclarece. 

Ação penal de competência do júri n. 5003354-74.2021.8.24.0031/SC 

FONTE/CRÉDITOS: Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social / Correspondente Regional em Blumenau
Comentários:

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )